top of page

Animais ganham cobertores, aquecimento e novos alimentos no Zoo Pomerode

Ação realizada com a chegada das baixas temperaturas visa também estimular os instintos das espécies

Enquanto os chimpanzés ganham cobertores, o tamanduá-bandeira se aconchega na cama de feno, a cobra píton se aninha na toca e as araras degustam pinhão e coco. Poderia ser cena de desenho animado, mas faz parte do cotidiano do Bioparque Zoo Pomerode. As ações passaram a ser realizadas com a chegada das baixas temperaturas, para garantir o conforto térmico dos animais durante o Inverno.

Chamada de enriquecimento ambiental estrutural, a atividade engloba o acréscimo de materiais naturais nos habitats como camas de feno, tablados e montes de folhas, para que os animais mantenham o corpo aquecido. Na parte interna dos recintos, chamada de área de manejo, é utilizado um sistema de aquecimento que oferece a temperatura ideal, principalmente para o período noturno.

Além da adaptação no habitat e da parte interna do recinto estar aquecida, para os chimpanzés também são oferecidos os cobertores. “Eles receberam os cobertores para se manterem quentinhos nos dias frios”, comenta a bióloga do Bioparque Zoo Pomerode, Priscila Weber Maciel.

A bióloga explica que até para os répteis realizam ações em busca do conforto térmico nessa época do ano e, por isso, instalam no habitat tocas artificiais aquecidas. “Os répteis demandam cuidados especiais também, pois dependem muito da temperatura do ambiente para a regular a do corpo, e assim podem escolher onde preferem ficar”, afirma.


Alimentação de Inverno


A dieta dos animais do Bioparque Zoo Pomerode ganha um acréscimo nessa época do ano. As aves e os primatas, por exemplo, passam a receber pinhão, castanhas, milho e coco, além dos seus alimentos do dia a dia. “Para manter a temperatura do corpo, muitos animais gastam mais energia. Por isso, se faz necessário realizar esse aumento energético”, conta.

A bióloga acrescenta que, além do incremento calórico, a ação estimula os animais a desenvolverem seus instintos. “No caso de um enriquecimento ambiental alimentar como o pinhão, por exemplo, faz com que ele desempenhe o mesmo comportamento do ambiente natural, tendo que abrir o pinhão para conseguir se alimentar”, acrescenta.

Além da inclusão de novos itens, é realizado o ajuste na dieta de todos os animais para suprir a necessidade de cada um nesse período.

Sobre o Bioparque Zoo Pomerode


Com 91 anos de história, é considerado o maior zoológico de Santa Catarina. O local conta com aproximadamente 1 mil animais de 200 espécies, sendo que muitos estão ameaçados de extinção. O Bioparque é referência nacional no acolhimento e tratamento de animais selvagens que sofreram ferimentos fora de cativeiro e precisaram passar por atendimento especializado.


Crédito das fotos: Divulgação Bioparque Zoo Pomerode


bottom of page