top of page

FLIPomerode movimenta cenário literário catarinense e confirma segunda edição para 2024

Evento teve mais de 60 horas de programação e contou com escritores internacionais, nacionais e locais

O Festival Literário Internacional de Pomerode (FLIPomerode) terminou no domingo (13/8), após cinco dias e mais de 60 horas de programação.

Esta foi a primeira edição do evento, que movimentou o cenário literário catarinense e proporcionou um espaço de encontro para leitores de diversas faixas etárias. Além de trazer nomes consagrados da literatura nacional e internacional, como Ana Maria Machado, Ana Maria Gonçalves, Uljana Wolf e Sylk Schneider, o FLIPomerode promoveu a integração entre a literatura e a educação, através de oficinas e palestras que receberam mais de três mil estudantes da rede pública da região do Vale do Itajaí.

De acordo com a organização, o festival surpreendeu positivamente. “Tivemos um excelente evento graças à parceria que firmamos entre municipalidade, AVIP, SCAR, Design, empresas patrocinadoras, prestadores de serviços e vários outros que, de forma direta ou indireta, colaboraram para a realização do FLIPomerode. O principal diferencial são as pessoas, motivadas ao trabalho de construção de um evento que tem sua primeira edição, mas com potencial para a realização de muitas outras”, comemora Edilma Lemanhê, coordenadora geral do FLIPomerode. Ela adianta que a segunda edição do evento já está confirmada e deve ser realizada em agosto de 2024.

O festival contou com presenças ilustres que visitaram a cidade, como o ex-secretário de Assuntos Internacionais do Governo de Santa Catarina, Carlos Adauto Virmond, que assinou o tratado de irmandade entre a Turíngia e Santa Catarina; Berthold Zilly, professor aposentado da Freie Universität Berlin e da Universidade de Bremen e atualmente professor visitante no Programa de Pós-Graduação de Estudos da Tradução (PGET) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e sócio correspondente da Academia Brasileira de Letras; e também Bibiana Nilsson, diretora de Comunicação e da Biblioteca do Goethe de Porto Alegre (RS).

Carlos Henrique Schroeder, curador do FLIPomerode, afirma que os desafios em reunir escritores, poetas e tradutores tão importantes para a literatura contemporânea foram superados e o resultado de todo esse empenho foi um evento maravilhoso. “Quem acompanhou o evento viu o alto nível dos debates das mesas nacionais e internacionais, das contações bilíngues, das mediações de leitura e dos espetáculos. A qualidade técnica ficou à altura dos principais eventos literários do país, e alcançar isso já na primeira edição é motivo de orgulho. E também já traz uma grande carga de responsabilidade para as próximas edições". Para ele, o apoio da comunidade, dos patrocinadores e apoiadores foi fundamental para o sucesso do festival. “Pomerode mostrou, mais uma vez, que a união em torno de um propósito é a chave do sucesso para qualquer evento”, ressalta Schroeder.

Além das mais de 60 horas de atrações presenciais, o festival teve ainda algumas ações transmitidas em tempo real através do canal do YouTube, somando 12 horas de streaming. O envolvimento da imprensa na cobertura do evento e o engajamento do público nas redes sociais também merecem destaque, através delas os autores, público e interessados no festival ficaram por dentro dos bastidores e puderam conferir conteúdos exclusivos em fotos, vídeos e textos.

Para Manfredo Goede, presidente da Associação Visite Pomerode (Avip), a cidade comprovou que tem vocação turística cultural. “Com este festival literário, confirmamos que Pomerode está aberta a exemplos de multiculturalidade e diversidade, uma inovação positiva de forma geral”, destaca Goede. Ele reforça que o evento traz um novo público para a cidade e mostra uma nova vertente, que terá um impacto futuro no reconhecimento de Pomerode também como destino de cultura.


O prefeito de Pomerode, Ércio Kriek, prestigiou o evento e citou o legado positivo deixado para a cultura do município. “Um dos tesouros mais preciosos da nossa administração é o zelo e a promoção da educação e da cultura em Pomerode. Contar com um festival como o FLIPomerode é um passo importante e que tem tudo para incluir a cidade no mapa da literatura nacional”, avaliou Kriek.

Ao todo, o FLIPomerode reuniu 39 escritores (sendo dois internacionais, seis nacionais, seis regionais e 25 locais), promoveu o lançamento de livros, sessões de autógrafos, oficinas de escrita e feira do livro, e contou com a Câmara Literária de Pomerode (CLiP) como parceira no festival. Mediações de leituras, debates, apresentações musicais, cinema, performances e espetáculos de teatro também integraram a programação.


O FLIPomerode é uma realização da Associação Visite Pomerode (Avip), com produção do Centro Cultural SCAR. Conta com o apoio do Goethe-Institut, da Câmara Literária de Pomerode e da Prefeitura Municipal de Pomerode. O evento tem o patrocínio de Juriti, Oxford, Kyly, Havan, Nugali, Netzsch, Karsten, Strauss e Damenny, através do PIC - Programa de Incentivo à Cultura da Fundação Catarinense de Cultura do Governo do Estado de Santa Catarina.


Fotos: Divulgação


bottom of page